domingo, 6 de janeiro de 2008

PARACATU DOS SEM OURO

PARACATU DOS SEM OURO

Paulo Mauricio Serrano Neves

A riqueza é o nosso ouro
Que eles estão levando,
A pobreza é o nosso couro
Que eles estão tirando.

Matando as águas nascentes,
Poluindo o nosso ar,
Humilhando nossas gentes,
Comprando nosso lugar.

Tirando a tranqüilidade
Até nas nossas moradas,
Comendo Paracatu,
De colher, pelas beiradas.

Em trinta anos corridos,
Todo o ouro levarão,
E ficaremos sofridos
Na beira de um buracão