quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Avaliação da exposição humana ao arsenio no Alto Vale do Ribeira, Brasil

Título [PT]: Avaliação da exposição humana ao arsenio no Alto Vale do Ribeira, Brasil
Autor(es): Alice Momoyo Sakuma
Palavras-chave [PT]:

Visualizar: http://libdigi.unicamp.br/document/?view=vtls000341770

Baixar: http://libdigi.unicamp.br/document/?down=vtls000341770
Mneração - Meio ambiente , Arsenio - Aspectos ambientais , Arsenio - Toxicologia , Espectrometria de absorção atomica , Urina
Área de concentração: Saude Coletiva
Titulaçao: Doutor em Saude Coletiva
Banca:
Eduardo Mello de Capitani [Orientador]
Odair Zenebon
Otavio Augusto Boni Licht
Carlos Roberto Silveira Correa
Satoshi Kitamura
Resumo:

Resumo: A contaminação ambiental por arsênio tem causado preocupação na região do alto Vale do Ribeira/São Paulo/Paraná, Brasil, devido à presença natural de arsênio e às atividades de mineração desenvolvidas até final de 1995. A toxicidade dos compostos de arsênio decresce na seguinte ordem arsenito, arsenato, ácido monometilarsônico e ácido dimetilarsínico. A exposição crônica ao arsênio pode ocasionar doenças vasculares periféricas e câncer de bexiga, pulmão e pele. O objetivo deste estudo foi avaliar a exposição humana ao arsênio no alto Vale do Ribeira. Foram coletadas 759 amostras de urina nos municípios de Cerro Azul (controle), Ribeira e Adrianópolis (urbano e rural) e Iporanga, identificadas aqui como grupos CA, RA, VM e BS respectivamente. Os valores das medianas de arsênio urinário (As-u formas tóxicas) obtidos para crianças dessas localidades foram: 3,60; 6,30; 6,40 e 8,94, para adultos 3,87; 5,22; 5,10 e 8.54 µg/L, respectivamente. Houve diferença estatisticamente significante (p<0,05) entre o grupo CA e os demais. O grupo BS foi o que apresentou as concentrações mais altas da região, porém não indicam risco de dano à saúde. Por meio do modelo de regressão logística observou-se que o hábito alimentar não influenciou no aumento dos níveis de As-u em adultos ou crianças. A variável local de moradia, provavelmente relacionada aos níveis de arsênio no solo, foi a que se correlacionou positivamente com níveis de As-u, com chance de 4,93 e 6,16 vezes das crianças e adultos do grupo BS respectivamente terem os níveis As-u aumentado quando comparados ao grupo controle CA

Abstract: Environmental arsenic contamination has been a concern in the Ribeira valley region due to mining activities developed there for more than fifty years until 1995. Arsenic toxicity decreases according to its chemical species, from arsenite and arsenate to monomethylarsonic acid and dimethylarsenic acid. Chronic exposure to arsenic compounds can cause vascular disease and cancer of lung, skin and bladder. The objective of this study was to assess human exposure to arsenic using urinary arsenic measurements. 758 urine samples were collected in Cerro Azul (CA), chosen as control community, Ribeira (RA), Adrianopolis (VM) and Iporanga (BS). Median values of urinary arsenic (mg/L) were 3.60; 6.30; 6.40; and 8.94, for children from theses localities, respectively. For adults, the median values were 3.87; 5.22; 5.10; and 8.54 mg/L, respectively. Difference between CA and the other localities was statistically significant (p< or=" 4.93">

Data da defesa: 19-02-2004
Código: vtls000341770
Informações adicionais:
Idioma: Português
Data de Publicação: 2004
Local de Publicação: Campinas, SP
Orientador: Eduardo Mello de Capitani
Instituição: Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Ciencias Medicas
Nível: Tese (doutorado)
UNICAMP:
Dono: admin
Categoria: Aplicação
Formato: Documento PDF
Arquivo: Sakuma, Alice Momoyo.pdf
Tamanho: 2184 Kb (2236784 bytes)
Tempo estimado para download: 1 minuto(s) (Velocidade de conexão de 56 kb/s)
Criado: 16-08-2006 15:11
Atualizado: 16-08-2006 15:11
Visitas: 1671
Downloads: 125