quarta-feira, 1 de abril de 2009

O povo aumenta mas não inventa.

Corre à boca miúda que a RPM/Kinross está ameaçando mudar-se de Paracatu.

O povo aumenta mas não inventa.

por Serrano Neves, em 1º de abril de 2009, mas não é mentira.

A ameaça é de afetar a economia da cidade com a retirada dos recursos que direta ou indiretamente faz circular.

A contribuição da mineradora para os cofres municipais é de aproximadamente dois porcento da arrecadação e os demais ingressos na economia local não representam que sem a mineradora o povo de Paracatu vá empobrecer.

O fechamento da mineradora em Paracatu poderá produzir um choque imediato, choque esse que será economicamente muito menor do que um fechamento dentro de 30 anos.

A RPM/Kinross não é a mãe dos paracatuenses, mas quer fazer o papel de mãe.

Enquanto suas tetas aleitam a economia como o generoso leite do dinheiro, chegando a ofender a população, seu traseiro defeca poluição que degrada o meio-meio ambiente.

Enquanto "mamãe" se alimenta de ouro e, com boa saúde, distribui o "leitinho", suas fezes minerárias avançam sobre a saúde do meio-ambiente e do povo.

A saúde ambiental não é um bem disponível pelo povo, ou seja, a população de Paracatu não tem o direito de escolher o padecimento de sua saúde em troca do "leitinho", dai que nenhum plebiscito sobre a permanência da mineradora livrará as autoridades e os cidadãos conscientes de lutarem por uma postura ambientalmente correta que considere a saúde do povo como prioridade primeira.

Alguns poderão optar por deixar seus filhos adoecerem e até morrerem para garantirem o "leite".

Alguns poderão se ajoelhar diante do "manda quem pode e obedece quem tem juizo".

Alguns poderão defender o direito da mineradora fazer de Paracatu e das águas de Paracatu a latrina para seus rejeitos.

Mas existe em Paracatu um número expressivo de cidadãos que tem vergonha na cara e não aceita que a RPM/Kinross defeque suas ameaças sobre a população.

Esta é a resposta aos boatos, cumprindo agora que a direção da RPM/Kinross venha a público demonstrar que não pratica a fuxicaria de esquina nem a boquirrotice, ou aceite que a porta da rua é serventia da casa.

www.kinrossusa.com/investors/presentations/pdf/060112-paracatu-overview.pdf