sexta-feira, 3 de abril de 2009

Água: quem ainda tem, protege



Água: quem ainda tem, protege

Por Sérgio Ulhoa Dani (*)

Há um ano, um estudo foi publicado pela Defensoria da Água sob o título "O Estado Real das Águas no Brasil 2004-2008". Sua produção envolveu 423 pesquisadores, 830 monitores de campo e cerca de 1500 voluntários, que identificaram 20.760 áreas de contaminação em todo o país.

Segundo esse estudo, a poluição nas águas superficiais brasileiras aumentou 280%, em quatro anos, e passou a atingir 70% das águas de rios, lagos e lagoas, que se tornaram impróprias para consumo.

Outro estudo divulgado pela Universidade da Água indica que, em 50 anos, de cada 100 litros de água potável disponível no Brasil, nós só conseguimos conservar 25 litros. A França, por exemplo, conseguiu conservar 65 litros.

Em Paracatu, deixamos que destruíssem o Córrego Rico, o Córrego São Domingos, o Córrego Santo Antônio e vários outros pequenos cursos d'água urbanos que forneciam água potável para a população. Deixamos que poluíssem e esgotassem as nossas águas subterrâneas, e os poços semi-artesianos foram desativados. Hoje somos forçados a bombear água de longe, do Ribeirão Santa Isabel, que já sofre com o impacto da agricultura intensiva na sua bacia. Em 1996, a prefeitura municipal de Paracatu declarou estado de calamidade pública, por falta d'água na cidade. Com o aquecimento global, responsável por mais de um terço das secas em nossa região, a situação irá se agravar.

Sem água não há vida, não há agricultura, não há indústria, não há prestação de serviços, não há riqueza, bem estar, saúde, segurança, felicidade ou desenvolvimento. A natureza e o ser humano sofrem, e toda a economia padece.

Água é assunto vital e estratégico.

Dia 23 de março de 2009, o vereador Romualdo Ulhoa lembrou, na tribuna da Câmara Municipal de Paracatu, que a independência do Brasil foi declarada às margens de um rio. Vamos declarar a nossa, protegendo as santas águas de Paracatu. Quem ainda tem, protege.

(*) Médico pela UFMG-Universidade Federal de Minas Gerais; doutor em medicina pela MHH-Alemanha e doutor em patologia pela UFMG; livre-docente em genética pela USP-Universidade de São Paulo

Saiba mais em:
www.defensoria.org.br/langs/arquivos_multimidia/93.doc
www.uniagua.org.br
http://www.ecodebate.com.br/2009/03/26/aquecimento-global-explica-37-das-secas-no-mundo/
http://acangau.net/blog2.php/2009/04/02/baciassanta-jpg

-- 
Sergio Ulhoa Dani
Reserva do Acangaú, zona rural
Caixa postal 123
38.600-000 Paracatu MG
Brasil
srgdani@gmail.com
(+55 38) 9913-4457
(+55 38) 9966-7754