terça-feira, 7 de julho de 2009

*O que você pode fazer para minimizar os riscos do arsênio para sua saúde em Paracatu*



*O que você pode fazer para minimizar os riscos do arsênio para sua saúde em Paracatu*


Por Sergio Ulhoa Dani (*)

Com a mineração de ouro a céu aberto, Paracatu tornou-se uma área de risco
de intoxicação crônica por arsênio.

O arsênio é uma substância que está presente em grandes quantidades nas
rochas do Morro do Ouro. O arsênio acompanha o ouro, de forma que onde tem
muito arsênio, tem muito ouro. Estima-se que existam mais de 1 milhão de
toneladas de arsênio no Morro do Ouro e no lago de rejeitos da mineradora.
Quando a mineradora tritura as rochas para tirar o ouro, o arsênio sofre
reações químicas e físicas com o ar, a água, o calor e microorganismos e é
liberado para o ar, o solo e a água. O vento e a água transportam partículas
e gases de arsênio da mina, dos tanques específicos e da barragem de
rejeitos para longas distâncias. Mas ninguém na cidade percebe isso, porque
arsênio não tem cheiro.

Entretanto, já está provado por centenas de estudos científicos no mundo
todo que o contato prolongado com ar, solo, água e alimentos contaminados
com arsênio pode causar doenças como câncer e diabetes. O arsênio acumula-se
no organismo humano em pequenas quantidades que vão se somando com o tempo.
As doenças aparecem muitos anos depois, em alguns casos até 20 anos ou mais
depois do início da exposição. A época de aparecimento das doenças depende
de vários fatores, como nível de exposição, duração da exposição, hábitos
higiênicos e a sensibilidade individual, que é uma característica genética
de cada pessoa. Mesmo pessoas da mesma família podem ter sensibilidades
diferentes.

É obrigação da mineradora e dos governos municipal e estadual alertar a
população sobre os riscos da contaminação crônica da população pelo arsênio
da mina de ouro que eles operam ou autorizaram a operar, mas não fazem isso.
Enquanto não fechamos a mina de ouro de Paracatu e trocamos de governo, é
preciso tomar precauções para minimizar os riscos.

Orientações para minimizar os riscos de exposição a arsênio (também vale
para outros contaminantes, como o chumbo):

. Lave as mãos frequentemente.
. Lave frequentemente tudo aquilo que as crianças possam manipular ou
colocar na boca, como brinquedos, chupetas.
. Lave frequentemente os animais de estimação.
. Tire os sapatos antes de entrar em casa. Mantenha a sujeira fora da casa.
. Mantenha a casa limpa e livre de poeira, jogue a sujeira, a poeira e o
cisco no lixo.
. Lave as mãos antes de preparar a comida, e também antes de se alimentar ou
fumar.
. Mantenha as crianças e os animais de estimação longe do solo exposto.
Cubra o solo com grama, serragem ou cascalho.
. Use máscara facial em áreas com muita poeira.
. Lave as verduras cuidadosamente antes de consumi-las. Descasque as raízes,
como mandioca, batata, cenoura, etc.
. Use luvas e sapatos quando for cuidar do jardim ou da horta.
. Molhe o solo antes de cavar, para reduzir a poeira.
. Adicione solos limpos, como composto orgânico e terra vegetal ao seu
jardim, e considere usar plataformas de cultivo ou canteiros suspensos.


(*) Médico e cientista, reportando para o Alerta Paracatu, de Göttingen,
Alemanha, 7 de julho de 2009.

--
Sergio Ulhoa Dani
Tel. 00(XX)49 15-226-453-423
srgdani@gmail.com