terça-feira, 28 de julho de 2009

Nota para a imprensa – 27 de julho de 2009


Nota para a imprensa – 27 de julho de 2009

(see also the English version of this press release below)
[READ MORE IN PORTUGESE (leia mais em português)
http://alertaparacatu.blogspot.com/2009/07/manifesto-de-paracatu.html
Fonte: Fundação Acangau (www.alertaparacatu.blogspot.com)
-----------

Em pouco tempo, a transnacional canadense RPM/Kinross Gold Corporation está transformando Paracatu num inferno sobre a Terra – com o apoio de um punhado de autoridades brasileiras

Documentos antigos informam que já em meados do século 17 havia vida humana organizada em Paracatu, no noroeste de minas Gerais, Brasil. Quatro séculos depois, uma mineradora canadense traz destruição e morte para a cidade e suas imediações.

Apoiado em diversas análises, documentários, reportagens, relatórios e teses acadêmicas, o manifesto de Paracatu mostra por que e como a mineradora transnacional está transformando esta cidade de 90 mil habitantes num inferno sobre a Terra:

. Poluição do ar, da água e dos solos com metais pesados, arsênio e outras substâncias nocivas;
. Poluição e destruição das fontes de água potável da população;
. Aumento dos casos de câncer;
. Aumento dos transtornos mentais;
. Aumento dos casos de doenças cardiovasculares, renais, diabetes, doenças de pele e outras lesões;
. Aumento da concentração de renda (valor declarado da produção anual da mina de ouro: R$800 milhões ou US$500 milhões; mas 37,42% da população têm uma renda inferior a R$75,50 ou US$50);
. Aumento do desemprego e alto índice de desocupação (apenas 37% da população possui uma ocupação)
. Aumento das práticas de “facilitação dos negócios”;
. Degradação dos valores e costumes locais, degradação da cultura e da educação geral;
. Aumento dos gastos com manutenção de gigantescas barragens de rejeitos e tanques específicos de venenos, que são verdadeiras bombas de efeito retardado;
. Aumento do custo de oportunidade pela perda de vastas extensões territoriais que estão sendo sacrificadas em detrimento de outros usos alternativos prioritários (infra-estrutura urbana, conservação de mananciais, agricultura e agronegócio, etc.);
. Perdas econômicas decorrentes das perdas sócio-ambientais, que acarretam perdas de oportunidade de desenvolvimento de diversos setores da economia (como o turismo).

A expansão da mina da RPM/Kinross Gold Corporation em Paracatu representa uma catástrofe para a cidade. E a indiferença de um punhado de autoridades brasileiras trabalha a favor dessa catástrofe.

O Manifesto de Paracatu pede a atenção e a ajuda nacional e internacional para evitar essa catástrofe insidiosa.






Press release – July 27, 2009
Source: Acangau Foundation (www.alertaparacatu.blogspot.com)

Within a short timeframe, Canadian transnational RPM/Kinross Gold Corporation is turning Paracatu into a hell on Earth – with the backing of a fistful of Brazilian government authorities

Old documents tell us that Paracatu – located in northwestern Minas Gerais State, Brazil – already had an organized social life as early as the beginning of the 17th century. Four centuries later, a Canadian mining company brings destruction and death to the town and its surrounding region.

Supported by a number of analyses, documentaries, reports and scientifical data, the Paracatu Manifest shows how and why the transnational mining company is turning this 90,000 inhabitants town into a hell on Earth, featuring:

. Pollution of air, water and soils by heavy metals, arsenic and other harmful substances;
. Pollution and destruction of public sources of drinking water;
. Increasing cancer incidence;
. Increasing mental disorders;
. Increasing cases of cardiovascular diseases, renal disorders, diabetes, skin diseases and other lesions;
. Increasing income gap (value of the Paracatu mine annual gold production = US$500,000,000; income of 37,42% of Paracatu people = US$50);
. Increasing unemployment (37% of Paracatu people have an occupation)
. Increasing “facilitation payments” for governmental and non-governmental organizations;
. Increasing degradation of local cultural values and general education;
. Increasing liabilities (e.g., impending costs such as gigantic toxic tailings impoundments and other “clock bombs”) that overwhelm the actual value of gold reserves and anticipate bankruptcy;
. Increasing loss or degradation of vast extensions of valuable agricultural land and natural sources of drinking water;
. The worsening of social and environmental bases threatens the region with outrageous plight.

The Paracatu Manifest portrays the expansion of the RPM/Kinross Gold Corporation mine as a catastrophe which is backed by the indifference of a fistful of Brazilian government authorities.

The Paracatu Manifest calls attention and help from the national and international communities to avoid this insidious catastrophe.