sábado, 31 de outubro de 2009

Risco global atrás de ouro, carvão e petróleo

Risco global atrás de ouro, carvão e petróleo

As emissões de arsênio a partir das atividades de mineração de ouro,
carvão e petróleo já são maiores que as emissões a partir das
atividades vulcânicas naturais que no passado causaram a extinção dos
dinossauros. “Isso é uma mudança de paradigma de proporções
catastróficas para a humanidade”, argumenta Sergio Dani, autor do
estudo entitulado "Gold, coal and oil" (Ouro, carvão e óleo),
publicado na Europa pela revista Medical Hypotheses.
O arsênio é um dos venenos mais poderosos que se conhece; basta a
décima parte de um grama para matar um ser humano adulto em poucas
horas. Quantidades bem menores – algo como milionésimas partes de um
grama respiradas ou ingeridas diariamente durante vários meses ou anos
– já causam uma série de doenças como diversos tipos de câncer,
doenças vasculares, renais e diabetes, entre outras.

George Perry, da Universidade de Texas em San Antônio, um dos
cientistas mais citados em neurociência e na pesquisa sobre radicais
livres e doença de Alzheimer, considera que o artigo sobre arsênio
publicado na Medical Hypotheses “oferece uma visão crítica aprofundada
sobre o que parece se tornar um campo principal do esforço científico
nos próximos anos”.

Fonte: Instituto Medawar de Pesquisas Médicas e Ambientais/Fundação
Acangaú, 31 de outubro de 2009
Saiba mais:
alertaparacatu.blogspot.com
sosarsenic.blogspot.com