quarta-feira, 4 de março de 2015

Something strange

Paracatu-MG, Brazil, March 3, 2015 – Something strange is happening in Paracatu, a 80000 inhabitant town in Brazil. The incidence of cancer has increased substantially since 1987, when Canadian Kinross Gold Corporation started Brazilian’s largest open cast gold mine in town. Scientists suspect that arsenic released from the hard rocks during the mining operations is a major cause of cancer in Paracatu, which Kinross denies. There is no oncology department in Paracatu, and the poor people cannot afford cancer treatment in private clinics in larger cities. Rafaela Xavier is a young attorney who serves as a bridge between these patients and a charity cancer hospital located in Barretos, some 500 km south from Paracatu. Since the beginning of her volunteer work some three years ago Rafaela has been increasingly black mailed, and her 5 year old daughter has been bullied. Recently, her just married husband was fired from his position at Kinross. Last week, somebody broke into Rafaela´s house and made a gun shooting as a ‘warning message’ against her participation in the segment "Proteste Já" (Protest Now) of the Brazilian CQC television programme aired by Band TV. Rafaela is under a state-run witness protection programme. She told about her lot in a recent interview recorded in an undisclosed place where she and her daughter moved to.

https://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=NmlHutr25gM

Paracatu-MG, Brasil, 3 de março de 2015 – algo estranho está acontecendo em Paracatu, uma cidade de 80000 habitantes no Brasil. A incidência de câncer aumentou substancialmente na cidade desde 1987, quando a canadense Kinross Gold Corporation começou a maior mina de ouro a céu aberto do Brasil. Os cientistas suspeitam que o arsênio liberado da rocha dura durante as operações de mineração é das principais causas de câncer em Paracatu, o que a Kinross nega. Não há nenhum departamento de oncologia em Paracatu, e o povo pobre não pode pagar tratamento de câncer em clínicas privadas nas grandes cidades. Rafaela Xavier é uma jovem advogada que serve como uma ponte entre estes pacientes e um hospital filantrópico de câncer localizado em Barretos, cerca de 500 km ao sul de Paracatu. Desde o início do seu trabalho voluntário há cerca de três anos, Rafaela tem recebido cada vez mais ameaças anônimas, e sua filha de 5 anos de idade também tem sido intimidada. Recentemente, o marido recém casado foi demitido de seu cargo na Kinross. Semana passada, alguém invadiu a casa da Rafaela e fez disparos com uma arma de fogo como uma 'mensagem de aviso' contra sua participação no segmento "Proteste Já" do programa CQC da televisão brasileira que vai ao ar pela TV Band. Rafaela está sob um programa estatal de proteção à testemunha. Ela contou sua história em uma recente entrevista gravada em um lugar secreto fora de Paracatu, para onde ela e sua filha mudaram.