domingo, 15 de novembro de 2009

Prêmio denuncia desrespeito aos direitos humanos no Brasil e na Rússia

Prêmio denuncia desrespeito aos direitos humanos no Brasil e na Rússia

Por Sergio U. Dani

Göttingen, 14 de novembro de 2009. Duas organizações não governamentais
receberam o Prêmio Victor Gollancz de direitos humanos concedido este ano
pela Sociedade para os Povos Ameaçados (GfbV): o CIMI-Conselho Indigenista
Missionário, organização ligada à Igreja Católica brasileira e MEMORIAL, uma
organização independente de defesa dos direitos humanos na Rússia e antigas
repúblicas socialistas soviéticas.


José Éden Pereira Magalhães representou o CIMI na cerimônia de premiação.
“Apesar de termos uma Constituição cidadã no Brasil, onde estão contemplados
os direitos de todos, o país é constituído de poderes públicos inoperantes,
negligentes e omissos no que se refere aos direitos dos povos indígenas”,
afirmou. “No Brasil, ainda prevalecem os interesses econômicos e políticos
sobre os direitos humanos. Nosso país é uma das nações socialmente mais
desiguais do planeta”, concluiu.

Oleg Orlow recebeu o prêmio em nome da MEMORIAL. “Estamos vivendo tempos
difíceis na Rússia. Sofremos incompreensão, perseguição e assassinatos”,
falou Orlow. Em agosto desse ano, Zarema Sadulajewa, ativista que Orlow
comparou com a alma da MEMORIAL, e seu marido Alik Dzhabrailov, ambos de
apenas 33 anos foram seqüestrados e assassinados por protegerem crianças e
vítimas da guerra da Tschetschenia contra o governo terrorista do presidente
Ramsan Kadyrow, apoiado pelo Kremlin. “Zarema estava grávida”, desabafou
Orlow. “Ficamos tristes e chocados, mas nosso trabalho continua. É preciso
mostrar à sociedade a importância do respeito aos direitos humanos para o
futuro do nosso país”, concluiu.



Saiba mais:



Victor Gollancz (1893-1967), escritor, educador e editor inglês de origem
judaica. Denunciou as práticas nazistas mesmo antes da tomada do poder por
Adolf Hitler, em 1933, e o desrespeito aos valores humanos durante e após a
II Guerra Mundial. Além do seu próspero negócio editorial, Gollancz foi um
escritor prolífero em uma variedade de temas e transformou suas idéias em
ações mediante o estabelecimento de grupos de ativistas e campanhas. Sua
publicação mais conhecida é o livro *Our Threatened Values* (Nossos Valores
Ameaçados) (London, 1946). Nesse livro, Gollancz descreveu as condições
desumanas que os prisioneiros alemães dos Sudetos enfrentaram em um campo de
concentração na Tcheco-Eslováquia.

A Sociedade dos Povos Ameaçados (GfbV - Gesellschaft für bedrohte Völker) é
uma organização internacional para proteção dos direitos humanos de minorias
étnicas e religiosas. É uma ONG com status de conselheira junto ao Conselho
Econômico e Social da ONU (ECOSOC) e também junto ao parlamento europeu. A
sede da GfbV fica em Göttingen, Alemanha.