quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Poluição do ar mata gente nas cidades

28 de setembro de 2011

Poluição do ar mata gente nas cidades

Geneva – os habitantes das cidades que crescem rapidamente no Iran, Índia e Paquistão são especialmente ameaçados de morte pela poluição do ar. Segundo informações da Organização Mundial da Saúde (OMS), do mundo todo são essas as cidades que apresentam as piores cargas de poeira fina que se depositam nas vias aéreas. O ar mais limpo – também devido à baixa densidade populacional e condições favoráveis de vento
– está nas cidades do Canadá e Estados Unidos. Essas informações estão contidas na estatística sobre poluição do ar publicada em Geneva essa segunda-feira.

As partículas finas em suspensão no ar aumentam o risco de doenças agudas e crônicas das vias aéreas – como inflamações dos pulmões ou câncer de pulmão – e também os problemas cardiovasculares, informa a
OMS. Ao todo foram escolhidos dados de 110 cidades em 91 países, alguns são dados antigos. A poluição do ar medida foi aquela causada principalmente pelas partículas finas com dez micrômetros de diâmetro
(PM10) ou menos.

Segundo as estimativas da OMS, morrem anualmente mais de dois milhões de pessoas vítimas das consequencias da poluição do ar. Em 2008, ano-base da maioria das estatísticas publicadas, 1,3 milhões de mortes foram causadas pela poluição do ar nas cidades. Se as rigorosas regras da OMS para poluição do ar tivessem sido empregadas, quase 1,1 milhões de mortes teriam sido evitadas, escreve a Organisação.

Em Paracatu o ar é um dos mais poluídos do mundo. O ar dessa cidade de 85 mil habitantes a apenas 200 km da capital do Brasil está carregado de poeira tóxica lançada 24 horas por dia pela mineradora canadense Kinross Gold Corporation. A poeira de Paracatu contém o veneno arsênio que causa câncer, hipertensão, doença renal e diabetes, entre outras doenças.


Há muitos anos a OMS publicou as diretrizes para poluição do ar em cidades, que entretanto raramente são respeitadas. A recomendação situa-se no máximo de 20 partículas por metro cúbico na média anual. Em muitas cidades a concentração encontra-se em mais de 300 partículas. A composição química das partículas também influencia o valor recomendado. Assim, não existe dose segura para uma substância
cancerígena como o arsênio. Nesses casos, o valor recomendado por médicos e especialistas é próximo de zero partículas por metro cúbico de ar.

Os principais causadores da poluição do ar nas cidades são o tráfego urbano, as instalações industriais, a queima de biomassa e carvão para cozinhar e aquecer, e as usinas termoelétricas a carvão mineral.


--
Dr.med. D.Sc. Sergio U. Dani
Heidelberg, Germany
Tel. +49 15-226-453-423
srgdani@gmail.com